Os 10 Mandamentos de um Franqueado de Sucesso

6 minutos para ler

Tudo o que você precisa fazer para se dar bem investindo em uma franquia.

O modelo de investimento em franquias se mostrou nos últimos anos uma excelente opção de negócio tanto para empreendedores de primeira viagem, quanto para empreendedores que possuem uma margem de recursos limitada e não desejam arriscar em algo que não é consolidado.

Em geral, franquias são negócios já muito bem formatados, com uma fórmula já testada em realidades de diversas cidades e regiões, contando com desempenho atrativo e lucratividade interessante.

Para se ter uma ideia, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento de franquias cresceu 6,9% em 2019 (comparado ao ano de 2018) e estima-se que haverá um crescimento de 8% até o fim deste ano.

Ainda assim, como para todo investimento, é preciso avaliar as possibilidades que envolvem abrir uma franquia antes de depositar as economias nela.

Por isso, a Redação KNN irá listar a seguir algumas questões que todo empreendedor deve levar em consideração antes de decidir abrir uma franquia. Confira:

1. Deixe seu lado inventivo um pouco de lado

O empreender pode ter dinheiro no bolso e horas debruçadas sobre livros de gestão. No entanto, caso ele não siga de acordo com as orientações de sua franqueadora, o futuro da empreitada pela franchising é incerta.

Um franqueado não precisa, necessariamente, ser um empreendedor nato, já que todo o árduo caminho trilhado até a fórmula de sucesso do negócio já está feito. “O que nós fazemos é oferecer o caminho já desmatado ao empreendedor. A única coisa que ele precisa fazer é seguir conforme as recomendações do nosso suporte”, diz Paulo Búbola, diretor de expansão da franquia KNN.

2. Tenha reserva financeira

Na hora de avaliar diferentes tipos de investimento no mercado de franchising, é de costume levantar entre as opções estudadas o investimento inicial necessário para cada negócio.

A partir disso, o empresário vai saber quanto a rede exige de taxa de franquia, royalties (se houver), fundo de propaganda e capital de giro. Ainda assim, é recomendável em alguns casos, além das exigências contratuais, reservar uma poupança para o andamento do negócio de pelo menos 50% do capital investido.

3. Escolha bem o ponto comercial

Se a franquia que você escolher envolve comércio e serviço, uma localização geográfica ruim é um dos principais fatores de insucesso em muitos empreendimentos.

Desta maneira, é essencial contar com estudos que mensurem a adequação do público ao produto da empresa, ou levantar a demanda do local para determinado negócio.

Inclusive, há franquias, como a KNN, que auxiliam na escolha do ponto comercial de seus franqueados.

4. Considere regiões

A gerente administrativa de expansão, Caroline Barbirato, chama a atenção dos investidores para questões sobre regiões de atuação e planos de crescimento.

Em sua visão, o empreendedor deve analisar bem as regiões onde pretende atuar para ter um bom espaço de mercado, já que vai contratar uma franquia que tem muitas unidades. “Ele deve escolher bem a cidade onde vai trabalhar em função das outras unidades. Franquias possuem planos de regionalização. Muitas vezes é mais interessante o franqueado abrir seu negócio em uma cidade vizinha, onde haverá um público maior para seu negócio”, comenta.

5. Faça uma boa investigação

O segmento de atuação parece interessante? A estrutura da franqueadora parece ideal? O investimento inicial necessário cabe em seu bolso?

Caso tudo pareça perfeito para assinar o contrato todo cuidado é pouco. Antes de concluir o fechamento de contrato, saia a campo e busque por outros franqueados da mesma empresa.

Investigue o suporte da franqueadora com parceiros, certifique-se de que o sistema de distribuição é eficaz, que o diálogo é franco. Enfim, que o prometido é mesmo aquilo que, depois, se entrega.

6. Avalie o contrato cuidadosamente

Você saber o que é um contrato de franquia? É como se fosse um típico contrato de adesão.

Isso quer dizer que, no papel assinado e reconhecido firma, estão colocadas as regras e deveres de ambas as partes envolvidas – tanto pelo franqueado, quanto pelo franqueador.

Sendo assim, leia tudo com muito cuidado. Uma vez assinado, o vínculo estabelecido acarreta em ônus por parte de quem decidir rompê-los.

7. Não se importe com o tamanho

Franquias podem ter formatos diferentes que adaptam a realidade de diferentes cidades, com tamanhos compactos para munícipios com menos de 20 mil habitantes, por exemplo. O investimento necessário também varia quando se trata de modelos mais econômicos.

Para quem almeja investir nesses formatos, a consultora de negócios, Natália Bervian, alerta que não é porque o investimento é menor que o cuidado com sua franquia deve seguir o mesmo caminho. “Dinheiro não aceita desaforo. Não é essa a cabeça que o franqueado tem que ter”, avisa.

8. Fique de olho nas franquias que estão crescendo

“Caso uma rede tenha muitas unidades, ou está em um crescimento acelerado, isso é sinal de que representam uma boa oportunidade de negócios para quem investe”, explica Marcos Coutinho, consultor de negócios da franquia KNN.

De acordo com Marcos, as marcas mais consolidadas já passaram por esta fase de ajustes básicos e, por isso, possuem um nível de maturidade muito maior em relação as que começaram recentemente. “Ao investir em uma rede com muitas unidades, o empreendedor acaba recebendo este aprendizado adquirido pela empresa”, afirma.  

9. Estude os termos

A popularização e ascensão das franquias vem atraindo diversos tipos de empreendedores que nunca haviam antes se familiarizado com este negócio.

Alguns termos e conceitos, como royalties, trending, COF, auditoria, entre outros podem parecer estranhos de início, podendo ser motivo de dúvidas ou confusões para quem está conhecendo o business agora.

Neste artigo, separamos para você os 25 termos e conceitos mais populares dentro do universo de franquias, para você não ter dúvida nenhuma na hora de colocar a mão na massa.

10. Saiba pelo o que você está pagando com a Taxa de Franquia

Uma Taxa de Franquia é a cobrança paga pelo franqueado, geralmente logo após a assinatura do contrato de adesão a uma empresa franqueadora.  A grosso modo, ela se dá através de um valor fixo e único, que corresponde à concessão de uso de uma marca.

Este valor faz parte do investimento inicial para abertura de uma unidade.  

Para o empresário chegar à conclusão sobre o custo de taxa de franquia imposto no contrato, é necessário levar alguns aspectos em conta.

Para analisar o custo-benefício da taxa, o empreendedor deve analisar os serviços, deveres e obrigações que a franqueadora está oferecendo durante o processo de implantação do negócio e também o pós-implantação.  

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.