Oportunidade de negócio? Escolas de idiomas abrangem público de todas as idades

19 minutos para ler

De acordo com pesquisas, menos de 10% da população brasileira fala inglês fluentemente.

Não é nenhum mistério que o inglês se tornou uma das línguas mais importantes do mundo. Com a conexão que a tecnologia desenvolveu, diversas pessoas buscam por escolas de inglês para todas as idades, com o objetivo de aprimorar a fluência e descobrir novas formas e estudar um idioma diferente.

É por isso que se tornou muito rentável investir em uma escola de idiomas no Brasil, visto a crescente necessidade da população de se especializar não apenas por uma exigência profissional, mas também em função da proximidade que a língua causa entre diversas pessoas e culturas.

Pensando em ajudá-lo a aproveitar a abrangência que o mercado de línguas estrangeiras apresenta, nós desenvolvemos este artigo com todas as informações que você precisa saber para investir em uma escola de inglês para todas as idades. Boa leitura!

Como é o ensino de inglês no Brasil?

Você concorda que para saber como aproveitar uma oportunidade de investimento, é preciso conhecer o mercado de trabalho e as oportunidades que ele apresenta? Afinal, a partir das informações que você reunir por meio de pesquisas de mercado e satisfação de clientes, é possível montar uma escola voltada para as reais necessidades do seu público.

Em outras palavras, conhecer quem você quer atingir e, mais ainda, o mercado no qual essas pessoas estão presentes e o que elas estão buscando, potencializa o seu processo de venda, tornando o seu negócio muito mais rentável e lucrativo.

No Brasil, um dos principais motivos pelos quais as pessoas buscam um conhecimento aprofundado em inglês é o aprimoramento profissional. Hoje em dia, diversas empresas estão priorizando colaboradores que tenham domínio da língua para que possam alavancar suas vendas e fazer a empresa crescer em nível internacional.

Justamente por isso, algumas famílias investem no ensino bilíngue e colocam seus filhos desde cedo em escolas que estimulam o aprendizado em inglês. E mais: também procuram instituições especializadas para aprimorar seus conhecimentos voltados para seu real objetivo.

Indo um pouco mais além e saindo do universo profissional, outra razão que estimula diversos brasileiros a investirem nesse conhecimento é a aproximação com outras culturas. O inglês, por ser um idioma falado no mundo inteiro, apresenta a oportunidade de conectar pessoas das mais variadas culturas.

Assim, quem detém o conhecimento dessa língua, consegue conversar com tranquilidade com cidadãos de outras nacionalidades, criando um vínculo de amizade, além de aprimorar sua consciência cultural ao entrar em contato com novas formas de pensar e ver o mundo.

Ao compreender esse cenário brasileiro, muitas empresas começaram a investir em escolas de idiomas para todas as idades, isto é, que apresentam diversas formas de ensinar essa língua para contemplar os mais variados públicos. Ainda assim, menos de 10% da população brasileira fala inglês fluentemente.

Mas, então, o que isso quer dizer? Bom, por um lado você tem um mercado que exige conhecimento técnico dos profissionais e, por outro, você tem uma população que cada vez mais toma consciência da importância de dominar o inglês. Se juntar essas duas faces do cenário brasileiro, você encontra uma excelente oportunidade para investir em uma escola de inglês.

Afinal, a porcentagem de pessoas que são fluentes é muito pouca e, em contrapartida, muitos querem aprender essa língua. Então, por que não explorar esse desejo e desenvolver uma empresa que gere lucro e, mais ainda, felicidade?

Acontece que, embora muitas instituições já tenham feito essa relação e criado escolas conhecidas, são poucas que apresentam a possibilidade de realizar o curso em qualquer etapa da vida. Em outras palavras, grande parte dos cursos de idioma é voltada para um público: o infantil.

Isso quer dizer que o ensino de inglês no Brasil é fragmentado e não apresenta a possibilidade de uma família estudar junto, por exemplo. Nesse sentido, esse modelo de escola ainda tem muito campo para ser explorado, além de ser bem aceito pela população.

Existe uma idade certa para começar um novo idioma?

No tópico anterior explicamos sobre as exigências e oportunidades que o mercado apresenta para uma escola de idiomas, sendo que uma delas é uma instituição voltada para a aprendizagem contínua de todas as idades. Só que, nesses casos, sempre surge aquela grande dúvida: qual a melhor idade para começar a aprender?

Isso porque é de senso comum acreditar que existe uma idade certa para aprender um idioma novo, priorizando a infância como a melhor época. Embora ela seja um período propício para a assimilação de novas informações e adaptação de conceitos, ela não é o único momento de aprendizado.

Vamos lá: quando pensamos em realizar uma graduação, voltamos o nosso foco para a fase adulta, certo? Esse período caracteriza bem o fim da adolescência e o início da vida adulta, envolvendo uma série de mudanças comportamentais, sociais e emocionais.

No entanto, essas transformações não interferem no processo de aprendizagem. Afinal, o jovem está em uma graduação e, por consequência, assimila informações e adapta conceitos referentes ao seu curso superior. E, então, qual é a mudança que ocorre na sua aprendizagem, já que muitos consideram a infância a melhor fase para estudar?

Na verdade, a resposta é bastante simples: o que muda é a motivação. Quando somos crianças, nossos objetivos são completamente diferentes. Buscamos conhecer o mundo, testar limites, desenvolver um pensamento abstrato, conhecer e se apropriar da lógica racional e encontrar novas formas de se relacionar com nossos pais e colegas.

Todo esse processo de desenvolvimento infantil propicia, de forma biológica, uma capacidade considerável de memorização e assimilação de dados, fazendo com que a criança aprenda de forma rápida e, muitas vezes, instantânea.

Por exemplo: quando falamos alguma palavra calão na frente de uma criança, muitas vezes ela a repete não porque quer ofender alguém, mas porque está aprendendo os sons e as reações dos adultos. Assim, de maneira instantânea, ela descobriu como falar uma nova palavra e a consequência que causa no ambiente.

Nesse sentido, a criança tem uma predisposição biológica — em função do seu processo de desenvolvimento — para compreender e fixar as informações do ambiente com mais facilidade. Só que em nenhum momento isso quer dizer que os adultos também não conseguem fazer isso.

Você lembra que falamos da motivação? Pois é, ela se faz presente nesse exato momento. Os objetivos da vida adulta se equivalem à predisposição biológica que a criança apresenta, fazendo com que um jovem adulto consiga aprender na mesma intensidade um novo idioma, dependendo da importância que esse conhecimento tem.

Em outras palavras, para que o adulto consiga aprender com eficiência e rapidez, além de dedicação ao estudo, ele precisa ter um objetivo muito claro para desenvolver a fluência e ter facilidade em assimilar um novo idioma.

Assim, não existe a idade certa para começar o estudo do inglês, o importante é entender que há diferentes métodos de ensino que proporcionam uma aprendizagem eficiente para cada uma das etapas da vida. A partir dessa compreensão, é possível otimizar o processo de aprendizagem, desenvolvendo a fluência com rapidez e eficiência.

Por que hoje o aprendizado do inglês é essencial?

No início deste post, explicamos como que o mercado atual funciona e se realmente vale a pena investir em uma escola de inglês. Acontece que essa explicação não estaria completa se nós não falássemos sobre a importância do aprendizado em inglês.

Para além da oportunidade profissional, que já comentamos, uma das necessidades da sociedade contemporânea é a aproximação entre as pessoas. Quantas vezes você já escutou que a sua vizinhança não é mais a mesma? Ou até que o seu país deixou de ter uma relevância mundial?

Esse distanciamento que aconteceu em todo o mundo traz reflexos intensos na nossa sociedade: a individualização, a solidão e a falta de comunicação entre as pessoas. Mas, afinal, o que tudo isso tem a ver com o estudo de inglês?

Hoje em dia existem muitas estratégias internacionais de aproximação continental para além dos processos econômicos e políticos. Assim, busca-se uma ampliação da cultura, uma socialização das diferentes formas de perceber e viver a vida. Uma forma na qual os grandes órgãos, como a ONU, encontraram para explorar essa proximidade foi por meio da linguagem.

Nesse sentido, hoje em dia diversas organizações, empresas, culturas e comunidades investem no inglês como uma forma de comunicação global. E não só buscam nesse idioma uma maneira de diminuir as distâncias entre as pessoas, permitindo uma conexão e expansão pessoal no nível mundial.

Assim, bilhões de pessoas estão ao seu alcance a partir do momento em que o inglês passa a fazer parte do seu dia a dia. Isso é capaz de não só expandir a sua rede social, como também estimular novas experiências, amizades e histórias que podem ser experimentadas mundo afora.

Além dessas vantagens, existem outros benefícios que o inglês provoca na sua vida. A seguir, separamos os principais para você conhecer. Confira!

Aperfeiçoa a sua memória

Não importa a idade: muitas vezes esquecemos-nos de coisas importantes ao longo do dia. Isso acontece por diversas razões, desde a não fixação de uma informação no cérebro, até problemas orgânicos que precisam ser averiguados.

O fato é que a memória é algo que influencia corriqueiramente a nossa vida, e a sua falta provoca consequências desagradáveis, tanto na esfera pessoal quanto na profissional. Ao estudar inglês, você estimula o seu cérebro a reter informações, assim como correlaciona a sua história de vida com as novas experiências que outro idioma proporciona.

Isso permite um aperfeiçoamento da sua memória, garantindo que você tenha um desenvolvimento mais saudável. Dessa forma, a perda que surge com o envelhecimento é reduzida e você ganha mais qualidade de vida.

Mantém o cérebro ativo

Ao aprender um novo idioma, você precisa, necessariamente, estimular o seu cérebro. Independentemente de ser criança — e ter aquela predisposição biológica que comentamos — ou adulto e ser motivado pelos seus objetivos, o estudo de uma língua diferente provoca mudanças orgânicas no seu corpo.

Assim, ao identificar novas palavras, treinar a oratória, desenvolver a leitura e aprimorar a escrita, você desperta o hemisfério esquerdo do seu cérebro e, logo em seguida, o córtex e o hipocampo para reter as informações assimiladas e, então, consolidar a sua aprendizagem.

Permite um contato diferente com o entretenimento

Por fim, outra vantagem que o aprendizado de inglês traz é o contato diferenciado com o entretenimento. Por exemplo: se o seu livro favorito for em inglês, você pode ler o exemplar original e ter outra experiência com aquela literatura que faz seus olhos brilharem.

Além dela, você pode ampliar os seus horizontes culturais e assistir filmes sem legenda, jogos virtuais no áudio original, peças teatrais em inglês e tantos outros entretenimentos que proporcionam uma vivência diferente com a arte.

Quais são as necessidades e dificuldades do ensino do inglês em cada fase da vida e como podem ser aprimoradas?

Como você já deve ter percebido, cada fase da vida oferece benefícios no processo de ensino-aprendizagem, sobretudo relacionado ao estudo de idiomas. Além das funções orgânicas, questões sociais, métodos de ensino e emoções também interferem no conhecimento de uma nova língua na medida em que passamos pelas etapas do desenvolvimento.

Justamente por isso, cada uma dessas fases apresenta suas necessidades e dificuldades. Um bom exemplo é a exigência do mercado de trabalho em relação ao domínio de outra língua. Hoje, muitos trabalhadores buscam desenvolver essa habilidade para ter destaque profissional.

Assim, uma necessidade da fase adulta é o conhecimento do inglês para conquistar reconhecimento no trabalho, sendo que a grande dificuldade é a motivação que ele encontra para começar a estudar. Até porque, muitas vezes, o fato de ter um bom destaque não é suficiente para sustentar um estudo aprofundado da língua.

Para você conhecer mais sobre essas ambivalências do processo de ensino-aprendizagem, nós explicamos como elas aparecem em cada fase da vida e como podem ser trabalhadas a fim de proporcionar um excelente conhecimento de inglês. Confira!

Crianças

A infância é um período decisivo para a aprendizagem. Como comentamos, é aqui que o cérebro está receptivo aos conhecimentos, retendo o máximo de informações e estimulando a memória para que ela seja eficiente no dia a dia. Ainda que com pouca experiência de vida, as crianças conseguem ter um processo intenso de aprendizagem em função dessa característica orgânica.

Além disso, por estarem em constante interação com outras crianças e, é claro, com sua família, elas conseguem estimular outras regiões do cérebro, aprendendo como se locomover, falar, sentir e se expressar por meio dessas relações.

Em função dessa curiosidade aguçada, a criança demanda conhecimento a todo instante. Em outras palavras, a sua maior necessidade é conhecer. Por isso, muitos pais e responsáveis colocam seus filhos desde pequenos em escolas de idiomas, já que eles querem aprender.

É por isso que esse mercado se torna lucrativo no Brasil. As famílias, ao entenderem a importância de saber se comunicar em inglês, colocam as crianças em escolas de idiomas para que treinem, desde pequenas, suas habilidades de expressão em outra língua.

Vale lembrar que, para potencializar o processo de educação, é muito importante levar em conta as metodologias utilizadas. Isso porque ela será o meio pelo qual a criança se sentirá motivada a continuar estudando.

Nesse sentido, não é nada eficiente lançar mão de uma metodologia de leitura e apresentação de slides para crianças de cinco anos, já que elas não terão uma boa concentração e ficarão entediadas com facilidade. O ideal é optar pelo ensino lúdico que estimula o seu aprendizado por meio de brincadeiras e jogos.

Adolescentes

A partir dos 10 anos, o processo já começa a ser diferente. Enquanto antes era muito interessante lançar mão de brincadeiras para estudar, agora o mais importante é focar nas relações que o inglês oferece para o adolescente. Isso porque essa fase da vida é muito voltada para o convívio social.

Vamos pensar juntos: o jovem está sempre buscando novas formas de conhecer outras pessoas e fazer parte de outros círculos sociais com o objetivo de fortalecer a sua subjetividade, ou seja, quem ele realmente é.

Isso fica muito evidente quando escutamos um adolescente falando que está em busca de quem ele é, do que ele gosta e da sua relevância para a sociedade. Ao mesmo tempo em que isso pode ser um obstáculo no estudo, também pode ser a principal solução.

Nós explicamos: utilizar todos esses sentimentos a flor da pele para potencializar o aprendizado é uma excelente estratégia para fixar o conhecimento de um novo idioma e, então, promover um espaço seguro de trocas de informações em inglês.

Afinal, ao aproximar as vivências que os jovens estão experimentando — novas relações sociais, dúvidas existenciais, dificuldades familiares e hormonais — com o inglês você cria uma motivação mais intensa, fazendo com que eles estudem com prazer e realmente queiram desenvolver a fluência.

Por isso, essa etapa da vida é fundamental para trabalhar as expressões, pronúncias e conversação, trazendo a prática como a ferramenta principal de estudo. Para isso, você pode lançar mão do entretenimento, como a literatura e o cinema.

Jovens e adultos

Por fim, quando falamos em aprender inglês na vida adulta surgem mais obstáculos do que necessidades, não é mesmo? Enquanto que no período anterior a conexão com outras pessoas, o contato com culturas diferentes e o desenvolvimento social sirvam como motivação suficiente para o aprendizado, agora já não é bem assim.

Isso acontece por duas razões: a experiência de vida que o adulto carrega e o seu foco na vida profissional. Na grande maioria das vezes, a busca pelo inglês nessa fase surge em função de uma demanda ocupacional, em que o adulto precisa conhecer o idioma para ter um bom desempenho no trabalho.

Isso por si só já é uma grande oportunidade de negócio. Por exemplo, você pode utilizar essa demanda para criar um curso voltado para o aprendizado profissional de inglês, que contempla todas as necessidades do seu público.

Acontece que a ambivalência surge, nessa etapa, como um elemento principal. Ao mesmo tempo em que a experiência de vida motiva o adulto a se aproximar do inglês, comparando a sua história com o aprendizado, ela também pode distanciá-lo do aprendizado na medida em que traz à tona o componente da idade.

Assim, muitos adultos optam por não investir no estudo de inglês por acharem que não é mais o momento, acreditando que a melhor época para aprender é durante a infância ou adolescência. Isso pode aparecer mesmo quando há uma exigência profissional.

E, então, como lidar com essa situação e aprimorar o estudo nessa etapa da vida? O primeiro passo é divulgar a informação de que não existe um momento certo para dar início aos estudos, tendo em vista que grande parte do sucesso recai sobre a motivação pessoal.

Outro passo possível de ser seguido é utilizar essa ambivalência como forma de consolidar um negócio, abrindo uma franquia de idiomas. Assim, você quebra o obstáculo que o adulto apresenta a você ao mesmo tempo em que o utiliza para afirmar a necessidade de começar a estudar, fazendo com que ele se sinta estimulado para aprender inglês.

Quais as vantagens de investir em uma franquia de idiomas?

Ao longo deste artigo você pôde perceber como o mercado brasileiro está aberto para novas escolas de idiomas, sobretudo aquelas que trazem inovações metodológicas para todas as idades. Isso quer dizer que investir em uma franquia de idiomas é um negócio rentável e lucrativo.

A demanda por aprender um novo idioma só cresce no Brasil, seja ela relacionada ao aprimoramento profissional ou à busca de desenvolvimento pessoal e aproximação cultural. Assim, cada vez mais crianças, jovens e adultos estão à procura de uma escola que entregue um ensino de qualidade, ou seja, que realmente faça diferença no dia a dia, já que muitas escolas deixam a desejar.

Mesmo em momentos de crises econômicas, a busca pelo conhecimento não para, ainda mais porque nesses períodos a população também procura experiências fora do país, principalmente para consolidar uma carreira internacional e fugir da crise.

No entanto, embora o mercado esteja receptivo, investir em uma franquia acaba sendo mais vantajoso do que iniciar a sua escola do zero. Isso porque você já tem um método de gestão bem estabelecido, além de um plano de negócios consolidado que traz uma segurança a mais na hora de empreender.

Indo um pouco mais além, existem outras vantagens que a franquia apresenta. A seguir, você pode conferir quais são elas.

  • metodologia de ensino pronta, embora flexível;
  • material didático bem elaborado;
  • divulgação e promoção desenvolvidas;
  • riscos financeiros reduzidos;
  • estudo eficiente do público e persona;
  • investimento inicial baixo;
  • nome e identidade visual já estabelecidos no mercado;
  • suporte e consultoria do franqueador.

Ao longo do artigo, explicamos sobre o ensino brasileiro de idiomas estrangeiros, a inexistência de uma idade certa para começar a estudar inglês, os benefícios desse aprendizado e os motivos pelos quais você deve investir em uma escola de inglês para todas as idades é um negócio seguro e flexível. Agora, você pôde perceber como esse mercado é abrangente e rentável para a sua profissão.

E então, o que você achou do nosso artigo? Se você ficou com alguma dúvida em relação à abertura de franquias de escolas de inglês, entre em contato conosco!

REDAÇÃO KNN

LEIA TAMBÉM:

Aluna relata como foi estudar espanhol na KNN Idiomas: ‘Me proporcionou experiências emocionantes!’

Inspiração que vem de longe: conheça a incrível história deste aluno!

7 Erros que um professor de idiomas jamais deve cometer!

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.