KNN TALKS| Diretor Pedagógico avalia os resultados das aulas on-line: ‘Superamos todos os desafios!’

9 minutos para ler

Gleidson Espírito Santo fala também sobre a implantação do novo curso de Francês, mudanças no setor pedagógico da franquia e as transformações que a KNN teve ao longo do tempo.

O ano era 2011 quando o atual diretor pedagógico da franquia KNN, Gleidson Espírito Santo, conheceu a empresa. Sob o nome de Sparkle, a escola, que ainda não operava como franquia, ganhava destaque na região do litoral de Santa Catarina por conta da metodologia que valorizava a conversação imediata de seus alunos.

O profissional trabalhava em uma rede de supermercados na cidade de Porto Belo (SC), quando, ao realizarem uma ação comercial da escola, decidiu aos 26 anos de idade que iria investir no aprendizado de inglês.

O tempo passou e Gleidson de aluno, se transformou em colaborador, por convite da própria escola. De professor a coordenador, em 2015, o catarinense assume a direção pedagógica da rede, sob o nome de KNN Idiomas, como  conhecemos hoje.

Líder de uma equipe engajada e capacitada para oferecer um suporte de qualidade aos mais de 500 franqueados KNN, 2020 se tornou um grande desafio para o ex-aluno e agora diretor pedagógico da marca.

A pandemia exigiu que todos os esforços da equipe, em um curto período de tempo, se voltassem à adaptação do método de ensino em modo on-line, respeitando as recomendações de distanciamento social.

Em apenas duas intensas semanas, é criado o KNN At Home: a plataforma que recria o método de ensino da KNN Idiomas em um ambiente digital com estilo de uma escola da rede.

Desenvolvido através de um software que proporciona a conexão aluno-professor em tempo real, o At Home conta com os mesmos professores KNN – treinados e capacitados com método exclusivo –  além de material didático moderno e atualizado, conteúdos complementares para estudo on demand e suporte completo durante as aulas.

Além disso, no ano de 2020, a rede intensificou os treinamentos pedagógicos para as escolas de todo o Brasil e também implantou uma nova opção em seu sistema de ensino: o curso de Francês.

Na entrevista a seguir, o diretor pedagógico avalia aspectos importantes do setor que representa o coração da marca KNN: a educação.

Confira a entrevista:

A pandemia certamente foi o maior imprevisto de todos os setores da rede em geral, mas, mais especificamente, o setor pedagógico teve que correr contra o tempo para voltar às atividades de uma maneira totalmente diferente. Qual sua avaliação sobre todo o processo?

– Gleidson: O ano começou muito bom para nós. Começamos com muitos treinamentos e em março, surgiu a pandemia. A nossa metodologia sempre foi voltada para o ensino presencial e transformar isso para o ensino à distância poderia ser um tiro no pé. Havia uma resistência, sim. O nosso negócio sempre foi dentro da sala de aula, o ambiente, o contato olho no olho com os alunos. É justamente isso que faz a metodologia dar tão certo e a KNN se destacar entre seus concorrentes. O início foi conturbado tanto para nós e até as próprias escolas acertarem os detalhes.  Mas depois as equipes das unidades e da própria franqueadora pegaram o ritmo de uma forma muito satisfatória e muito rápida. Todos nós do setor pedagógico da franchising aprendemos rapidamente os prós e contras das aulas on-line para poder prestar o melhor suporte para escolas e entendemos como tirar o melhor proveito disso, que a princípio, era uma grande dificuldade. Então, se for para fazer uma reflexão geral desse último ano, acredito que superamos todos esses desafios com sucesso. O resultado disso são os próprios alunos, que adoraram as aulas on-line e sentiram que eram as mesmas aulas KNN que assistiam presencialmente. Eu, como profissional, me sinto muito realizado com o desempenho que nosso setor pedagógico e toda a equipe da franquia teve durante esse momento difícil de pandemia.

Eu, como profissional, me sinto muito realizado com o desempenho que nosso setor pedagógico e toda a equipe da franquia teve durante esse momento difícil de pandemia.

A implantação do curso de francês também foi um dos destaques da KNN este ano. Como está sendo o resultado disso?

– Gleidson: A KNN sempre pensou na expansão de oferta de idiomas. Há dois anos começamos a avaliar esta possibilidade. O francês é muito procurado por brasileiros por ser uma língua extremamente charmosa. A pandemia nos fez adiar um pouco o lançamento deste curso, mas o sucesso disso está aí. O francês está sendo um dos cursos mais vendidos durante os últimos cinco meses. A busca pelo curso está aumentando cada vez mais e principalmente, a receptividade dos alunos, que sentem o diferencial KNN no método de ensino, está sendo fenomenal. Os alunos aprendem de uma maneira fácil e natural.

Além das aulas on-line e curso de francês, quais mudanças significativas houveram no setor pedagógico da franquia neste ano?

– Gleidson: A gente sempre ouve do Reginaldo (Boeira, CEO da KNN), que tudo tem um lado bom, até mesmo as coisas ruins. O lado bom dessa pandemia para nosso setor pedagógico foi que tivemos que intensificar os treinamentos do suporte pedagógico para as escolas. Com isso, chegamos mais perto das escolas e assistindo as aulas dos professores, identificando seus problemas e dificuldades em tempo real ao aplicar a metodologia e fazendo a aula acontecer. Pegando essas informações, percebemos que tínhamos que mudar o nosso suporte, formando coordenadores especialistas em cada módulo e faixa etária. Então criamos coordenadores especialistas em livros infantis, livros iniciantes e livros avançados. O resultado disso foi muito bacana, porque começamos a prestar mais suporte focado nas necessidades específicas das escolas.

Em 2021 haverá a contratação de novos consultores pedagógicos de campo?

– Gleidson: Sim, haverá! Esse ano nos serviu para mostrar que somos realmente diferentes. Enquanto outras redes estavam demitindo, nós estávamos contratando, investindo em nossa equipe e ano que vem será ainda melhor. O número de escolas que serão inauguradas ano que vem será maior e, consequentemente, o número de professores também irá crescer muito, e isso demanda um número grande de consultores de campo. Vamos ampliar nossa equipe de consultores para poder atender a todos com a mesma eficiência. No primeiro trimestre, a previsão é de que serão inauguradas 100 escolas. Em média, vamos treinar mais de duzentos professores e ter uma equipe grande e preparada é necessário para compor este suporte. Graças aos nossos parceiros franqueados recebemos a indicação de muitos profissionais de qualidade que irão integrar este grande time em 2021.

Enquanto outras redes estavam demitindo, nós estávamos contratando, investindo em nossa equipe e ano que vem será ainda melhor.

Você foi aluno da metodologia desde os primórdios da KNN e agora ocupa o cargo de diretor pedagógico. Quais transformações você conseguiu perceber ao longo dos anos?

– Gleidson: Quando eu comecei a estudar como aluno, a metodologia e as aulas me encantaram. Dentro da sala de aula eu falava cada vez mais. Eu percebia minha evolução a cada aula. E quando eu virei professor isso passou a outro patamar, porque eu comecei a ajudar outras pessoas a evoluírem como eu evolui. O método em si não mudou ao longo dos anos, mas melhorou em alguns aspectos. O que mudou foi nosso treinamento e a capacitação. O suporte se estruturou ao ponto que conseguimos transformar nosso professor em um verdadeiro profissional da educação.

Muito se fala sobre o respeito às individualidades do aluno KNN. Mas aqui também temos os professores de idiomas mais descolados do mercado, porque as escolas também respeitam o estilo dos nossos profissionais. Como você vê essa característica tão marcante?

– Gleidson: A grande maioria dos alunos procura uma escola de idiomas porque quer aprender, principalmente, a se comunicar. Não tem como um aluno se comunicar com um professor que queira falar mais do que ele, que quer aparecer mais do que ele. Por isso procuramos perfis de professores que sejam diferentes disso tudo, que saibam, além do idioma, como se comunicar com seu aluno. Isso faz com que o aluno produza mais dentro de sala de aula e goste mais de ir às aulas. A gente sabe que cada professor tem um estilo de comunicação diferente e a gente preza para que sejam eles mesmos. Existem vários tipos de perfis de professores, então o nosso método busca identificar este perfil e adequá-lo à modalidade mais compatível. 

A rede KNN possui uma equipe unicamente especializada para atender justamente a prática de retenção de alunos nas escolas. Na sua opinião, em tempos de pandemia, a retenção ganhou protagonismo nas escolas?

– Gleidson: Com toda a certeza. A retenção foi um dos setores determinantes para que as escolas não perdessem alunos, justamente porque houve adaptação de novas objeções que viram a surgir, prestando um suporte de qualidade aos franqueados e ensinando como evitar a evasão dos alunos, como negociar de uma maneira mais assertiva e tudo mais. A equipe de retenção da KNN Brasil está de nota 10. Com isso, ajudamos todos a superarem essa fase difícil que logo vai passar.

E o que você espera para o futuro do setor pedagógico da franquia KNN e para o futuro da marca em geral?

– Gleidson: Para o futuro, antes de tudo, eu espero que a gente possa voltar com as aulas presenciais, porque nada melhor do que sentir o calor humano e a interação dos nossos alunos pertinho da gente.  Além disso, vamos continuar com aulas cada vez melhores, levando os alunos a alcançaram seus sonhos e objetivos. Espero que a KNN Brasil como um todo possa atingir outros patamares, como está planejado, expandindo seus horizontes, chegando em outros países, porque estamos preparados para isso.

LEIA TAMBÉM:

KNN Talks: Diretor comercial da KNN explica como a rede saiu na frente driblando a pandemia

KNN TALKS: Diretor de marketing da franquia fala sobre o sucesso de “Live the Road. Love the Journey” e outros projetos

KNN matricula mais de 5 mil alunos em apenas 1 mês

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.