GUIA COMPLETO: Etapas iniciais para montar a sua empresa

GUIA COMPLETO: Etapas iniciais para montar a sua empresa

Aprenda tudo que precisa com este nosso passo a passo exclusivo!

Talvez uma das principais questões que indagam a vida de um empreendedor em 2021 seja como abrir um negócio de sucesso. Sem dúvida alguma, uma das maiores decisões de uma pessoa na área profissional é montar uma empresa e se estabelecer no mercado de maneira efetiva.

Esse percurso traz impactos na rotina do indivíduo, exigindo um alto comprometimento e uma alteração drástica do plano profissional, que deve atuar na busca incessante por parcerias, descobrir novos conhecimentos e dedicar-se diariamente para vencer os obstáculos que cercam uma empresa de sucesso.

Pensando nessas questões, desenvolvemos este guia completo com todas informações necessárias para abrir um negócio e ter sucesso a partir de 8 passos, desde a retirada da ideia do papel até o lançamento da empresa no mercado. Acompanhe!

Como abrir um negócio totalmente do zero?

É possível afirmar que o Brasil é um dos melhores países para empreender e desenvolver uma empresa. O governo federal indica que surgem cerca de 600 mil novos negócios todos os anos e já existe mais de 1,5 milhão em atividade, sem considerar os microempreendedores.

Portanto, se alguém gosta de uma determinada área, tem uma boa ideia e muita determinação, é provável que o negócio terá sucesso. Apesar disso, não basta apenas ter muito entusiasmo, mas também conhecimento significativo para que possa escalonar seus ganhos.

Assim, desenvolvemos um roteiro com 8 passos essenciais que contemplam a abertura de um negócio de sucesso, desde a definição da primeira ideia até a sua consolidação no mercado. Confira!

1. Defina a sua ideia e nicho de mercado

A primeira etapa para a criação de um empreendimento envolve a definição exata do que será investido, ou seja, em qual segmento empresarial o negócio será modelado e o que será oferecido ao mercado.

Essa fase, conhecida também como idealização do negócio, serve como alicerce para as próximas etapas do nosso passo a passo. Nem todo empreendimento surge com uma ideia mirabolante pensada ao acaso, mas qualquer empresa se fixa em um ponto base de partida, que vai se ajustando ao longo do caminho.

Apesar disso, não é preciso se preocupar caso você esteja com os insights nebulosos ou com os pensamentos ainda sem definições exatas. É natural que as ideias não surjam com clareza, mas vão amadurecendo com o tempo.

É importante ter conhecimento da futura área de atuação e, mais ainda, ter afinidade com o que será proposto para o mercado, tornando o fardo mais leve na hora de levar o negócio adiante. Conversar com outras pessoas que já atuam no ramo e analisar todas as vantagens e desvantagens é essencial nesse momento.

Outro aspecto bastante importante é encontrar o público alvo a partir das redes sociais e avaliar se realmente vale a pena ou não colocar em prática a ideia inicial. Ter conhecimento da aceitação do mercado garante bases sólidas para as próximas fases do negócio.

Em vez de desenvolver uma ideia e começar um negócio do zero, abrir uma franquia pode ser um investimento mais atrativo pela maior chance de sucesso no empreendedorismo. Uma franquia de idiomas, por exemplo, tem apresentado destaque no cenário nacional pela alta demanda por esse tipo de serviço.

2. Valide a sua ideia

A maior parte dos empreendedores avança a etapa de elaboração da ideia principal do empreendimento e já conseguem arquitetar um planejamento inicial para o negócio, mas esbarram no processo de validação desse conceito.

Apesar de parecer algo complexo e dificultoso de se desenvolver, a etapa de validação da ideia não pode ser esquecida, pois é um elemento crucial para definir se há uma oportunidade de negócio ou não, impactando diretamente todo o andamento da vida do empreendimento.

Caso este seja o seu caso, busque analisar as questões que envolvem a inovação por traz do produto que será oferecido, qual será a metodologia envolvida no processo de criação e como a futura empresa irá apresentá-lo para o mercado a partir do seu lançamento.

Além disso, é essencial dedicar uma parcela do tempo para pensar em como o produto será desenvolvido no futuro e todos os serviços que serão inerentes ao seu processo de fabricação, evitando surpresas na hora de realmente colocar todo o planejamento em prática.

3. Faça um plano de negócios

plano de negócios talvez seja uma das etapas mais importantes de todo o processo, atuando como base estrutural para o início da vida de uma empresa.

Sobretudo, é nessa etapa em que é elaborado um roteiro eficaz para alcançar as primeiras metas do negócio. Estudar as variáveis que envolvem a descrição dos serviços e dos produtos, a capacidade de investimento e os perfis dos clientes reduzem os riscos associados à imprevisibilidade.

Com isso, um plano de negócios começa com uma pesquisa de mercado detalhada, incluindo dados dos principais concorrentes e estudos das tendências do segmento em que se irá investir. Além disso, revisar os pontos principais do futuro empreendimento para garantir um modelo gerencial eficiente é fundamental, determinando se os primeiros objetivos já foram definidos e qual será a base de aceitação.

É importante ressaltar que o plano de negócios não é o primeiro documento a ser elaborado em uma nova empresa, pois existem outras etapas a serem percorridas com relação ao planejamento eficiente do empreendimento no mercado.

Em paralelo com esse período, é fundamental iniciar algumas ações que envolvem o modelo de negócio para adquirir alguma experiência no mercado, evidenciando o primeiro planejamento da empresa.

4. Entenda quais são os parceiros-chave

No início de qualquer empresa é perfeitamente aceitável que apenas o idealizador do projeto gerencie todo o negócio, até pelo fato de estar mais aprofundado em todo o planejamento. Apesar disso, a atividade de empreendedorismo não é um caminho solitário, pois envolve uma rede de profissionais que farão parte diretamente das etapas do processo produtivo.

Com isso, será necessário lidar com parceiros de negócio, fornecedores, colaboradores e, além de tudo, com consumidores finais de seus serviços e produtos. Apesar de ser possível gerenciar um empreendimento de maneira centralizada, conforme a organização vai crescendo é indispensável contar com a participação de sócios para dividir as atividades da empresa.

Então, para ficar mais claro: o empreendedor até pode conduzir por conta própria o seu negócio, mas limitará as suas perspectivas de crescimento. Por tanto, definir os parceiros-chave durante a jornada de alavancagem da organização é fundamental.

Identificar quais características os sócios não devem ter é tão importante quanto escolher os parceiros ideais para a administração do empreendimento. Ademais, bons associados trazem frutos positivos, ao passo que membros ineficientes comprometem o crescimento da empresa no mercado.

5. Levante os recursos necessários

Quando já existe uma boa ideia de negócio para investir, com um planejamento inicial bem desenvolvido e um plano de negócios adequadamente elaborado, é hora de pensar nas formas de captar recursos para tirar a empresa do papel.

A maioria dos empreendedores não dispõem de capital suficiente para alavancar o negócio e fazer com que o empreendimento se estabeleça no mercado. Se você faz parte dessa realidade, confira a seguir algumas formas que podem auxiliar no processo de captação de recursos para os primeiros passos da empresa.

5.1. Crowdfunding

Como a tecnologia é uma das principais aliadas das empresas, é possível abrir um novo negócio a partir de plataformas de crowdfunding, que funcionam como um financiamento coletivo. É necessário criar uma apresentação eficiente para expor a ideia para os usuários e convencê-los a custear o projeto.

A partir disso, o empreendedor disponibiliza brindes e ofertas extras para quem apoiar o projeto nas situações em que a meta é atingida. Como exemplo, é possível oferecer versões de testes de algum produto ou enviar o artigo final para o apoiador.

O ponto mais interessante do programa de financiamento coletivo é a prospecção de futuros clientes para o negócio. Essa perspectiva baseia-se no fato dos financiadores do projeto já terem comprado a ideia logo no início, apoiando a iniciativa do empreendimento.

5.2. Empréstimos

Um dos modelos tradicionais de conseguir recursos para uma empresa é a partir de empréstimos, buscando instituições bancárias que possam fornecer auxílio ou mesmo amigos e familiares que invistam no empreendimento logo no começo.

É importante estar atento aos empréstimos bancários, planejando todo o fluxo de caixa e levando em consideração todas as taxas de juros cobradas pela instituição. Apesar de serem muito elevadas no início, com a cautela necessária é possível alcançar um futuro promissor para o negócio.

5.3. Sócios investidores

A associação com um sócio investidor pode ser uma solução eficiente para dar início a uma empresa. Geralmente nesse modelo de administração um dos membros gerencia todos os aspectos operacionais do empreendimento, ao passo que o outro fornece o suporte financeiro, mas ambos os associados decidem conjuntamente os assuntos mais importantes da organização.

6. Cuide de toda a burocracia

Mesmo se você for um empreendedor inexperiente, já deve ter conhecimento que, no Brasil, entender como é o processo de abrir uma empresa pode ser complexo e demorado. Sobretudo, os modelos fiscais e tributários nacionais são desafiadores, variando conforme o tipo de negócio.

Ademais, os sistemas que fiscalizam as empresas e os empreendedores são rigorosos, com potencial para comprometer todo o futuro do negócio caso as leis que regulamentam todas as atividades não sejam seguidas. Por isso, é fundamental estar suficientemente preparado para a etapa de formalização da organização.

Para que você não se perca em toda a burocracia necessária, separamos os pontos mais essenciais que não podem ser ignorados durante esse processo.

6.1. Encontre um contador

Um bom contador é praticamente indispensável durante o processo de organização de todos os documentos para abrir uma empresa. Sobretudo, esse profissional reunirá todos os dados e informações necessários para estabelecer o contrato social e garantir a emissão do CNPJ.

Além disso, um contador experiente tem o domínio técnico adequado para indicar o melhor regime tributário em função do tipo de empresa que será aberta. Essa característica é muito vantajosa principalmente quando abordamos o cenário nacional, que é regido por uma alta quantidade de impostos e, dependendo do tipo de negócio, podem ser reduzidos significativamente.

6.2. Contrato social

Depois de procurar um bom contador, é necessário elaborar o contrato social e registrá-lo em um cartório de pessoa jurídica ou junta comercial. A partir disso, o suporte de um advogado qualificado torna-se imprescindível, auxiliando na produção do documento com as características de ramo, objetivos, formação de capital social e aspectos societários.

Após todo esse processo, ainda é necessário arquivar o ato constitutivo da empresa com a apresentação dos seguintes documentos:

  • três vias do contrato social, requerimento de MEI ou estatuto, dependendo da empresa;
  • cópias autenticadas em cartório do CPF e RG de todos os sócios;
  • uma via do requerimento padrão;
  • uma via da ficha de cadastro nacional — FCN, modelos 1 e 2;
  • comprovantes de pagamento das taxas pelo DARF.

6.3. Obtendo um CNPJ

Após todos os registros e documentações estarem completos, é hora de adquirir o cadastro nacional de pessoa jurídica — CNPJ. Com o término do arquivamento é fornecido o número de identificação de registro de empresa — NIRE, permitindo ir até o site da receita federal para obter, de fato, o CNPJ.

6.4. Conseguindo o alvará na prefeitura

Somente com o alvará de funcionamento é que a empresa poderá entrar em atividade. Para isso, é necessário deslocar-se até a prefeitura da cidade e fornecer a seguinte documentação para o setor responsável:

  • formulário preenchido fornecido pela Prefeitura;
  • endereço do estabelecimento aprovado por consulta prévia;
  • cópia da documentação do CNPJ;
  • cópia da documentação do contrato social;
  • laudo dos órgãos de vistoria.

6.5. Inscrição na secretaria da fazenda

É obrigatória a inscrição na secretaria de estado da fazenda para a liberação do imposto sobre circulação de mercadorias e serviços — ICMS, a depender do tipo de atividade que será desenvolvida pela empresa. A lista para essa documentação é extensa, portanto, é muito importante conferir todas as orientações no órgão responsável.

6.6. Registro na previdência

Para que todos os tributos referentes aos colaboradores da empresa sejam devidamente pagos, é fundamental o cadastro do empreendimento na previdência social. Mesmo que ainda não existam funcionários, todos os impostos precisam ser quitados em até 30 dias após o início das atividades do negócio.

6.7. Emissão de notas fiscais

Por fim, para as empresas que prestarão serviços é impreterível realizar o cadastro diretamente na prefeitura para a emissão de notas fiscais. Para o caso de indústrias ou redes de comércio, é fundamental consultar a secretaria estadual da fazenda.

7. Monte um plano de marketing

Após todo o processo de abertura de uma empresa de sucesso, é fundamental estabelecer um plano de marketing de qualidade para atingir exatamente a necessidade do cliente e prospectar novos consumidores.

Sobretudo, essa etapa não pode ser deixada para depois, principalmente porque uma ação de marketing adequada auxiliará no primeiro contato com o cliente, que na maioria das vezes é uma atividade difícil e exige tempo e cuidado.

Antes de qualquer coisa é essencial definir quais são as personas, ou seja, para quem esse produto ou serviço será vendido e quem estará interessado em adquiri-lo. Apenas com pesquisas completas sobre o público-alvo é que será possível compreender quais são os clientes ideais.

Após esse processo, as principais dúvidas devem ser mapeadas a partir dos canais de interesse por onde o cliente será alcançado. Estabelecida a fase inicial, separamos três passos fundamentais para um plano de marketing adequado.

7.1. Planejamento

É na etapa de planejamento em que todas as informações do ponto de equilíbrio do negócio são colhidas, analisando aspectos fundamentais relativos ao perfil do público-alvo, o posicionamento da empresa no mercado e quais são os objetivos das ações de marketing. Com isso, traça-se a estratégia ideal que será seguida durante esse processo.

7.2. Implementação

Estabelecido o plano estratégico, é hora de colocar todas as ações de marketing em prática. Se o foco das atuações for nas redes sociais, por exemplo, é dado início para o fortalecimento da marca na rede, interagindo com os usuários e fomentando campanhas.

7.3. Avaliação

Por fim, a última etapa é relativa a avaliação dos resultados obtidos. Nessa fase qualificam-se as métricas que mensuram as atividades realizadas e propõem-se novas estratégias para reiniciar o ciclo com mais eficiência ainda.

8. Faça o lançamento oficial

Nem todas as empresas montam um time de vendas especializado logo no começo do negócio. Por isso, é muito comum que os fundadores do empreendimento estabeleçam os primeiros contatos comerciais e busquem espaço no mercado.

Com isso, geralmente os primeiros consumidores são conquistados na fase inicial do negócio com estratégias de venda simples e eficientes. É importante ter ciência dos benefícios e das qualidades do produto ou serviço oferecido e apresentá-lo de maneira compreensível e direta nos canais de venda definidos pelo planejamento inicial, como web, redes sociais, contato presencial, entre outros.

Além disso, é fundamental compreender como o que está sendo oferecido pode resolver o problema de alguém, pois é exatamente essa ação que fará a diferença. É natural que existam obstáculos ao longo do caminho do empreendedorismo, mas serão barreiras transponíveis que darão conhecimento suficiente sobre os consumidores da empresa.

Todas as vendas estão relacionadas com o suporte de marketing do negócio, portanto, ter uma estratégia bem definida em conformidade com os objetivos comerciais é fundamental para formar uma base de clientes.

Quais os benefícios de investir em uma franquia?

.

Uma alternativa de investimento em uma ideia já consolidada no mercado é abrir uma franquia, pois são negócios já testados com os usuários e aprimorados constantemente, atingindo maturidade suficiente que novos empreendimentos ainda levarão certo tempo para adquirir.

Dados divulgados pelo Sebrae apontam que apenas cinco a cada 100 franquias que são abertas no Brasil vêm a fechar no período de dois anos, enquanto que no ranking de empresas que recém entraram em atividade, 23 em 100 encerram suas ações no mesmo intervalo de tempo.

As franquias de escola de idiomas, por exemplo, são experiências notáveis de expansão, mesmo em cenários de crise econômica. Isso ocorre porque são criadas oportunidades para o franqueado e para o cliente final, mesmo nos períodos mais delicados.

Quando ocorre uma instabilidade econômica é notável a diminuição do número de empregos formais, portanto, as pessoas geralmente buscam qualificação profissional para se reinserirem no mercado com mais capacitação. A partir disso, investir em um novo idioma gera novas oportunidades para o colaborador que busca melhores condições.

A partir dessa perspectiva, separamos algumas das principais vantagens de abrir uma franquia em vez de desenvolver um negócio totalmente do zero. Descubra!

Expansão

A expansão das franquias ocorre de forma mais ágil que em outros modelos de negócio, pois são estratégias já fundamentadas e definidas para serem colocadas em prática. Além disso, as franqueadoras estão sempre atualizando o planejamento para a ampliação da rede em vários territórios, o que auxilia no processo de decisão.

Marca

Uma marca conhecida significa ter à disposição um departamento de marketing e publicidade, comunicação adequada e outras formas de divulgação do negócio. Assim, naturalmente o empreendimento fica conhecido pelo público-alvo e forma presença na cidade em que está situado.

Contrato

Talvez um dos pontos mais importantes seja a separação jurídica entre o franqueador e o franqueado contra possíveis revisões do acordo. Com isso, o investidor pode trabalhar com mais segurança e a franquia atua livremente para desenvolver novos processos que aperfeiçoarão o negócio.

Gestão

A falta de experiência não atinge os empreendedores que optam pela abertura de uma franquia. Sobretudo, os franqueadores oferecem treinamentos de gestão para a unidade, fornecendo todo o conhecimento necessário para controlar o negócio de maneira adequada, acompanhando os resultados e recomendando ações estratégicas para o que for preciso.

Fornecedores

As franquias estabelecem uma longa rotina de pesquisas para encontrar fornecedores que ofereçam produtos de qualidade para as suas unidades. Para isso, todos os provedores são homologados, trazendo virtudes para todas as ações oferecidas pelos franqueados.

Padronização

Seguir um padrão determinado que já funciona adequadamente é muito mais simples do que criar um negócio inteiramente do zero e testá-lo no mercado. O investimento em uma franquia permite o contato com outras unidades da marca para conhecer todas as operações e estabelecer os modelos a serem seguidos na gestão do empreendimento.

Coletividade

É importante ter em mente que o crescimento da marca como um todo significa a expansão coletiva de todas as franquias. Se o modelo de negócios se desenvolve, todos os franqueados se beneficiam, representando um mercado colaborativo de amplificação orgânica de toda a cadeia envolvida.

Sobretudo, a dúvida de como abrir um negócio de sucesso é respondida a partir do estabelecimento de um plano de negócios adequado, observação de toda a burocracia envolvida no processo e uma boa estratégia de marketing. Investir em uma franquia pode ser uma boa opção para os novos empresários, principalmente no segmento de idiomas, que vem crescendo exponencialmente nos últimos anos.

Gostou do nosso artigo com os principais passos que devem ser seguidos para abrir um negócio e ter sucesso no mercado? Então aproveite para entender por que você precisa ter um plano de negócios para seu empreendimento e torne-se um especialista no assunto!

LEIA TAMBÉM:

Principais falhas de quem decide abrir seu próprio negócio sem ter experiência

É interessante abrir um negócio em família?

O que considerar antes de abrir uma escola de idiomas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.