Diretor de expansão da KNN Brasil fala sobre futuro da franquia, crescimento na pandemia e a concorrência

5 minutos para ler

Paulo Búbola: “Sermos líderes no segmento já é uma certeza para o futuro”.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a rede KNN Idiomas negociou mais de 65 unidades em todas as regiões do Brasil.

O crescimento da marca acompanhou os meses anteriores a março, quando a crise começou.

A capacidade de se reinventar e encontrar soluções está sendo fundamental para seguir com planejamento de expansão da franquia, que terminará o ano com mais de 500 escolas negociadas.

A Redação KNN Brasil conversou com o Paulo Búbola, que desde o ano de 2014 é diretor de expansão da rede.

Confira a entrevista:

REDAÇÃO KNN Brasil: Quando a pandemia começou, muitas empresas, inclusive do setor de educação, tiraram o pé do acelerador em relação a investimentos e crescimento. Como o setor de expansão da KNN Idiomas lidou com a situação?

Paulo: Na verdade, tudo o que acontece na KNN é diferente. A concorrência tirou o pé e a gente acelerou. Foi justamente por causa dessa crise que muita gente perdeu o emprego e, em muitos casos, para manter a qualidade de vida, decidiu investir em um negócio próprio, como plano para 2021. Então a KNN encontra essas pessoas e auxilia com todo o suporte. Muita gente, inclusive que era do ramo da educação, se viu totalmente perdido quando a pandemia começou. Quando se trata de uma empresa que faz parte de uma franquia consolidada no mercado, o suporte é essencial para driblar os percalços de uma crise. Então o que fazemos, na maioria das vezes, é encontrar essas pessoas que precisam de um plano de negócio forte o suficiente para vencer a batalha contra a pandemia, e isso a KNN, sem dúvidas, oferece. Neste período, inclusive, fizemos mais de cinquenta conversões de escola. Isso acontece geralmente porque os empreendedores encontram-se perdidos, sem saber o que fazer e nós oferecemos a solução.

REDAÇÃO KNN Brasil: No início de 2020, a KNN entrou para a lista das 50 maiores franquias do Brasil. Com escolas em praticamente quase todas as regiões do Brasil, fica mais fácil ou mais difícil expandir a marca?

Paulo: Com certeza fica fácil. Quanto mais unidades a rede possui, mais conhecidos ficamos. Acaba que é interessante para todo mundo. Tanto para nós como expansão, como para os nossos franqueados, que terão a sua marca mais conhecida, e consequentemente, irão matricular mais alunos.

REDAÇÃO KNN Brasil: O setor de expansão, principalmente os consultores de negócios, costumam brincar afirmando que a KNN Idiomas não possui concorrência. Como chegaram nessa conclusão?

Paulo: A gente é infinitamente diferente das outras franquias, essa é a questão. Desde o nosso posicionamento de marca – o “Live the Road Love the Journey” –  até a maneira que a gente atende o nosso aluno, desde a recepção até a sala de sala, o jeito com que prospectamos nosso cliente. É tudo diferente! Por toda essa diferença, a gente brilha mais aos olhos do empreendedor. Por isso dá a impressão que não temos concorrentes à altura.  

REDAÇÃO KNN Brasil: A KNN Idiomas cresceu mais de 380% entre os anos de 2016 e 2018, justamente quando o Brasil enfrentava uma crise econômica e agora estamos enfrentando mais uma com o plano de expansão em progresso. Isso quer dizer que nossa empresa é imune a crises?

Paulo: A verdade é que a gente aprendeu a crescer dentro de uma crise. Todas as crises foram positivas pra nós, porque aprendemos a nos reinventar, a sair da zona de conforto e a fazer diferente. Nós somos uma franquia e temos franqueados, claro. Mas na verdade é que buscamos, de fato, parceiros da marca. Para quem já tinha um negócio próprio e decidiu investir na KNN, vê a gente como uma “mão-amiga” neste período de instabilidade. Visto isso, nós criamos um plano de negócio para o parceiro que for inaugurar ano que vem se dar bem. É na crise que se consegue garimpar boas oportunidades. Além disso, a rede também passou a flexibilizar algumas coisas, desde formas de pagamento de taxa de franquia até mesmo com financiamento inicial para montar a escola.

REDAÇÃO KNN Brasil:  A expectativa é sermos líderes no segmento de idiomas em 2023. Qual expectativa do setor de expansão para o fim deste e como você vê a marca KNN no futuro?

Paulo: Atualmente estamos com 505 escolas negociadas. A meta é começarmos 2021 com 550, mas estamos trabalhando para até o mês de fevereiro alcançar 600 unidades. Sermos líderes no segmento já é uma certeza para o futuro. Isso vai acontecer, sem sombra de dúvidas. Eu vejo a KNN como uma marca que representa muito além do conceito de escolas de idiomas. As pessoas que estudam e trabalham na KNN são impactadas por uma intensa experiência de vida. Todos saem transformados. Costumo dizer que existe um “antes e depois” da KNN na vida de todos que passam por aqui.  Então, eu acredito que a marca vai transcender cada vez mais as escolas e virar uma bandeira de estilo de vida.

 REDAÇÃO KNN Brasil: Para finalizar, que mensagem você gostaria de passar para os franqueados e colaboradores que fazem parte da rede?

Paulo: Mesmo que estejamos no meio de uma pandemia, não tenham medo! Afinal, os números não mentem. A expansão mostra que a gente continua forte do mesmo jeito. Muitas unidades que inauguraram em plena pandemia bateram recordes de matrícula e isso foi incrível. Isso nos mostra que não devemos ter medo. Muito pelo contrário. Temos que avançar. Comparado a outras redes, nós praticamente não tivemos escolas que fecharam as portas. Enquanto as outras franquias retraem, a gente avança. 

REDAÇÃO KNN BRASIL

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.