Após se tornar Jovem Embaixadora nos EUA, ex-aluna da KNN vive novas experiências fora do Brasil

4 minutos para ler

Depois de estudar inglês na escola de Blumenau (SC), Camila participou de importantes eventos internacionais.

Há dois anos, a KNN Idiomas de Blumenau (SC), escola dirigida pelo franqueado João Paulo Lichtenfels, foi destaque em publicação de grande repercussão do nosso blog.

O assunto era uma aluna de 18 anos, que tinha acabado de ser aprovada para participar do programa Jovem Embaixador –  um intercâmbio nos Estados Unidos que tem como público alvo estudantes brasileiros do ensino médio na rede pública que se destacam em sua comunidade pela atitude positiva, bom desempenho acadêmico, conhecimento da língua inglesa, capacidade de liderança e espírito empreendedor.

Entre 17 mil inscritos para participar do programa, Camila, que cursava o 3º ano do ensino médio do Centro De Educação Profissional Hermann Hering, foi uma das 50 selecionadas de todo o Brasil para participar do projeto para jovens protagonistas que buscam resolver problemas em suas respectivas comunidades por meio de ações criativas e inovadoras.

Conforme relata a ex-aluna que atualmente cursa o 3º semestre de Medicina na Universidade Regional de Blumenau (FURB), a experiência até hoje soa como um sonho que era impossível de ser realizado.

“Quando mais nova, eu sempre queria estudar inglês para poder coisas desse tipo mundo afora. Sempre participei de muitos projetos voluntários desde nova, mas o inglês ainda era algo que me fazia falta. Minha mãe tinha que sustentar eu e minha irmã com pouco dinheiro e as mensalidades das escolas de idiomas eram muito caras para a gente ”, conta Camila.

Comovido com a história de vida da jovem, o franqueado João concedeu uma bolsa de estudos generosa à menina. “Participei do processo seletivo do programa (Jovem Embaixador) segura no inglês, mesmo assim, quando fiquei sabendo que fui aprovada, foi um choque”, afirma a jovem embaixadora, que estava apenas a 4 meses estudando o idioma na escola de Blumenau.

Para bancar as despesas com o passaporte, seus colegas de ensino médio se juntaram para fazer uma vaquinha – o resto das despesas eram financiadas pelo próprio governo estadunidense.

Durante as três semanas, em janeiro de 2019, Camila conheceu as cidades de Washington (DC) e Louisville, no estado de Kentucky, participando de diversas atividades, visitas, palestras e programas culturais que simulavam práticas de diplomacia dentro de uma embaixada.

Memorial Martin Luther King Jr. – Washington (DC)
Memorial Abaham Lincoln – Washington (DC)
University of Louisville (Kentucky)

A experiência em terras norte-americanas deu coragem para blumenauense se aventurar de outros eventos mundo afora.

Em junho de 2019, Camila embarcou para Cidade do México para participar da Latin American Leadership Academy – um programa que promove o desenvolvimento econômico sustentável e busca fortalecer a democracia na América Latina.  Camila apresentou um projeto de inclusão social dentro da educação brasileira.

Mais tarde, durante os dias 1 a 11 de dezembro do mesmo ano, Camila viajou à Lahore, cidade do Paquistão, para participar do evento International Youth Summit of Lahore. O programa reuniu estudantes, empreendedores, líderes e ativistas de todo o planeta para discutir estratégias para alcançar os objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU. “Fui a única palestrante brasileira em todo o evento! Foi muito emocionante. O tema que escolhi foi a importância do desenvolvimento humano na educação pública”, conta.

Xochimilco – Cidade do México
Camila palestrando na University of Lahore (Paquistão)
Noite cultural da universidade do Paquistão

Atualmente, Camila Ceruti está com 20 anos e tem o sonho de participar de algum programa Médico Sem Fronteiras, organização que oferece ajuda médica e humanitária a populações em situações de emergência, em casos como conflitos armados, catástrofes, epidemias, fome e exclusão social.

Sobre a importância que teve o aprendizado de um novo idioma em sua vida, a futura médica considera que foi um divisor de águas. “Ter aprendido o inglês foi fundamental para viver essas experiências e principalmente, representar o nosso país lá fora. Além disso, conheci pessoas e culturas diferentes, entendendo o que elas desejam me comunicar para depois trazer isso para o Brasil, para a minha realidade”, avalia.

Camila gravou um vídeo para a KNN falando sobre a experiência do intercâmbio e a importância do aprendizado do idioma.

REDAÇÃO KNN

LEIA TAMBÉM:

Somente em agosto, KNN matricula mais de 4 mil alunos em todo o país

RETENÇÃO: a importância de fidelizar o seu aluno

5 erros mais cometidos antes de abrir um negócio

Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.