Abra o seu negócio do zero: As fases iniciais de uma empresa

Abra o seu negócio do zero: As fases iniciais de uma empresa

Existem mais de 6,4 milhões de estabelecimentos no Brasil, sendo que 99% são micro e pequenas empresas (MPE), de acordo com o SEBRAE. Ao considerar alguns dos motivos mais comuns para começar a empreender, como uma ideia comercial única, uma carreira com flexibilidade de horário e independência financeira, não é de admirar que as pequenas empresas estejam por toda parte.

No entanto, nem todas estão posicionadas para o sucesso. É um grande desafio abandonar seu emprego diário e se tornar proprietário de uma empresa. O início da companhia é o momento ideal para estabelecer as bases do sucesso.

Aqui estão as etapas necessárias para iniciar um novo negócio. Dê um passo de cada vez e você estará no caminho certo para concretizar seus sonhos.

Faça sua pesquisa

Provavelmente você já possui uma excelente ideia de negócio, agora é o momento de moldá-la de acordo com as necessidades do mercado. É muito importante executar sua ideia através de um processo de validação antes de maiores investimentos.

Há muitas formas para identificar essa necessidade, incluindo pesquisas em empresas concorrentes, com clientes em potencial e até tentativa e erro. Ao analisar o mercado, considere as seguintes perguntas:

  • Há necessidade para seus produtos ou serviços?
  • Quem é seu público-alvo?
  • Existem empresas concorrentes? Quais seus pontos fortes e fracos?
  • Você pode competir com essas empresas?
  • Você possui autorização legal para esse tipo de atividade?
  • Você possui o capital/conhecimento necessário?

É um erro comum se espelhar nas grandes empresas para criar seu modelo de negócio. Não seja generalista, procure atender e seja o melhor possível em um nicho de mercado. Você reduz drasticamente os riscos se já possuir alguma experiência nessa área.

Elabore um plano de negócios

Um plano de negócios guiará seu negócio desde a fase inicial até o estabelecimento e, eventualmente, o crescimento da atividade. Ele é essencial se sua intenção é conseguir apoio financeiro de um investidor ou instituição financeira. Você pode seguir as instruções do SEBRAE para criar o seu.

Porém, tenha em mente que criar um plano completo é uma atividade que pode levar meses (ou até anos) de muito trabalho. Na maioria dos casos, é recomendável usar esse tempo para validar seu projeto com clientes reais; essa estratégia é muito utilizada por startups, também conhecida como MVP (mínimo produto viável).

Um plano de negócios simples de uma página pode fornecer clareza sobre o que você espera alcançar e como planeja fazê-lo. De fato, você pode até criar um plano na parte de trás de um guardanapo e melhorá-lo com o tempo. Algum tipo de estratégia por escrito é sempre melhor que nada.

Controle suas finanças

Não cometa o erro fatal de não controlar suas finanças. Muitos empresários iniciantes negligenciam essa atividade. Se você não possui controle sobre suas receitas e despesas, é muito provável que não consiga tomar decisões coerentes com sua realidade.

O início de uma pequena empresa não exige muito dinheiro, mas envolve algum investimento inicial. Além dos gastos com a companhia, você ainda possui seus gastos pessoais; considere tudo isso e veja quanto tempo consegue sobreviver antes de obter lucro. O ideal é sempre ter capital suficiente para se manter nos próximos 24 meses.

Agora que você tem em mente um número aproximado, existem várias maneiras de financiar sua pequena empresa, incluindo:

Lembre-se de que também é possível começar sozinho usando o mínimo de capital necessário (MVP), ou talvez, uma combinação dos caminhos listados acima funcione melhor. O objetivo aqui, no entanto, é trabalhar com as opções e criar um plano para configurar o capital necessário para que seus negócios sejam executados.

Escolha uma estrutura de negócios

O ditado “ninguém faz nada sozinho” é uma regra no mundo dos negócios. Mesmo que não tenha um sócio, você precisará de fornecedores, parceiros ou funcionários. Pense nessa estrutura e veja qual o melhor tipo de empresa para você.

O tipo mais comum é o Simples Nacional, porém, caso ainda esteja validando sua ideia, é uma ótima opção começar com o MEI, onde você ganha tempo, economiza nos impostos e ainda tem todos os benefícios do CNPJ. Perguntas importantes para considerar:

  • Sua empresa precisa ter um ponto físico ou pode operar apenas na internet? 
  • É possível começar sozinho ou você precisa de sócio/equipe?
  • Vale a pena validar um novo modelo ou começar com uma franquia já estabelecida no mercado?

Se essa for sua primeira empresa, é sempre uma boa ideia buscar ajuda de contadores e profissionais da área.

Escolha e registre o nome da sua empresa

O nome da sua empresa desempenha um papel importante em quase todos os aspectos dela, portanto, ele precisa ser fácil e memorável.

Depois de escolher um nome, é necessário verificar se essa marca já foi registrada. Utilize o site do INPI para pesquisar e, se o nome estiver disponível, você pode solicitar o registro diretamente pelo site. Todo o processo leva cerca de 2 anos para conclusão. 

Não se esqueça de registrar também o nome de domínio (.com.br).

Enfim, a etapa mais importante… ação!

Durante seu planejamento e contato com primeiros clientes, você encontrará diversos obstáculos, e isso é normal, não desanime. A capacidade de mudança e adaptação é uma das principais habilidades que precisa dominar.

Você pode passar anos criando o mais perfeito dos planos de negócios, mas todo esse planejamento pode ir para o ralo no primeiro contato com um cliente real. Tenha em mente que o planejamento é, sim, muito importante, mas nada supera a prática. Saiba o momento certo de largar as planilhas e ir para a rua validar seu produto. 

Antes de começar a empreender e fazer investimentos, busque conselhos de outros profissionais, converse com clientes em potencial e não tenha medo de compartilhar sua ideia. Lembre-se de que uma ideia vale “10 centavos a bacia”, o que realmente importa é sua capacidade de execução e vendas.

Qual sua maior dor para tirar suas ideias do papel? Escreva abaixo nos comentários!

Que tal investir em uma franquia? Conheça a KNN!

Atualmente somos uma das quatro maiores redes de idiomas de todo o Brasil, com mais de 500 escolas por todas as regiões e 160 mil alunos.

Sem cobrança de royalties

Em nosso modelo de negócio o franqueado fica com 100% do valor das mensalidades dos seus alunos, sem letras miúdas ou taxas escondidas. O negócio é bem simples e claro: o aluno paga a mensalidade para o franqueado e compra o material didático da KNN Brasil.

Retorno rápido do investimento

Nossa característica comercial propicia que novos franqueados atinjam o ponto de equilíbrio e obtenham retorno do investimento em um tempo inferior à média do mercado. O prazo médio estimado para ponto de equilíbrio é de até 6 meses, atingindo retorno do investimento num prazo que pode variar entre 12 e 18 meses.

Método único, exclusivo para quem fala português

Para crescer como crescemos, o primeiro requisito é ter um produto realmente muito bom. Nosso método é único e foi desenvolvido especialmente para falantes da língua portuguesa. Aceleramos o que é naturalmente fácil para o brasieiro e simplificamos o que costuma ser difícil, trabalhando conversação desde a primeira aula. Desta forma o aluno evolui rápido e demonstra um alto grau de satisfação já nos primeiros dias.

Processo comercial sem igual

A gente não espera o cliente bater na porta e isso é o que nos difere da multidão. Aqui o comercial é tratado como ciência, com estratégias criadas e testadas para angariar clientes em praticamente qualquer lugar, em todos os tipos de cidade, através de ações on-line e off-line extremamente efetivas.

LEIA TAMBÉM:
Escolas de Idiomas dá dinheiro?
Jornada do Cliente: formas de proporcionar a melhor experiência
5 Pontos definitivos para avaliar uma franquia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.